domingo, 19 de setembro de 2010

Continuamos à procura do cérebro de Isabel Alçada

Numa mensagem inspirada, amadora, e com sérios, sérios, sérios problemas de produção, Isabel Alçada humilha-se voluntariamente ao mesmo tempo que acha que está a fazer passar alguma mensagem positiva. A única mensagem positiva é que Isabel Alçada é positivamente imbecil.



A Ministra fala num tom condescendente, como aquelas velhinhas que conversam com os bebés numa voz estridente, e aponta a sua mensagem aos alunos mais do que aos professores ou aos pais. No que se fosse feito de forma profissional e cuidada seria até uma boa ideia, Isabel Alçada espalha-se e sai-se com banalidades. A sua mensagem inclui conselhos como “dormir bem” e “tomar sempre o pequeno-almoço”. Sublinha a importância de “obter resultados com o esforço de trabalhar e aprender”; que é exactamente aquela conversa de professora na pré-reforma, desactualizada, que acha que com tamanha tralha moralista faz com que os alunos mais rebeldes e irresponsáveis percebam o poder mágico e curativo da aprendizagem.

Mas Isabel Alçada não trata os alunos só por crianças idiotas, com expressões como “eu já falei com muitos meninos sobre isto”. A Ministra relembra regras importantes e pouco lembradas, que com certeza farão os alunos portugueses reflectir antes de adormecer de noite. “Temos que cumprir as regras da nossa escola. Temos de ser disciplinados, estar na aula bem”, e ainda que a obtenção de resultados positivos na escola é dar “felicidade à família”.

Isabel Alçada continua explicando que o dia tem 24 horas, e que além de “dormir bem” devemos aplicar muitas horas ao estudo e só depois, nos tempos livres, “desfrutar do cinema” ou “conversar com os amigos”. Mas sem confusões: numa frase lapidar, a Ministra avisa: “O tempo que é para estudar é memo só pa estudar”, porque, explica, “quando fazemos duas coisas ao mesmo tempo não conseguimos fazer nenhuma bem”.

O vídeo é um bom exemplo disto. Isabel Alçada tentou formular um discurso coerente e olhar para uma câmara ao mesmo tempo, e deu-se mal; aliás, nenhuma das duas coisas foi bem feita. O vídeo está uma desgraça, o discurso também. Mas os alunos portugueses com certeza adormecerão a partir de agora mais aconchegados, sabendo que há uma avozinha no Ministério que zela pelos “meninos” e que está na posição de topo da Educação Portuguesa para lhes poder dizer, com um vídeo na Internet, que devem estudar e ter boas notas. E não se esqueçam: “Nós precisamos absolutamente de nos orgulharmos dos nossos alunos”.

.

1 comentário:

sardinhadura e gugakills disse...

por este andar não o encontrão tão cedo (se o encontrarem) hehehehe