sábado, 4 de setembro de 2010

Eu criei o Universo. Satisfeitos?

Já tive o prazer de ter muitas conversas com religiosos, pessoas que não só seguem uma religião como têm uma ideia mais ou menos definida do “seu” Deus: e uma das questões que mais surge nesse tipo de debates é a “criação” de tudo: do Universo, do homem, das leis da física e da química. Argumenta-se que tudo isto só é explicado pela presença e participação de um criador inteligente, pois de outra forma não poderíamos responder à pergunta “porquê?”. Atribuir uma razão ou um sentido à existência do Universo parece ser, para os religiosos e para muita gente não necessariamente religiosa (isto inclui e aplica-se também a muita gente que se considera “espiritual”), uma necessidade muito grande, como se tal abrisse uma janela que justifique todo o tipo de teorias ou mitos que expliquem esse sentido.
Pode ser discutido até que ponto essa meta é sequer relevante. Porque é que, vendo bem as coisas, terá que haver um significado para “tudo”? Haverá um significado especial no florescer de uma flor, no movimento dos planetas ou numa avaria no meu tubo de escape?
Estas perguntas podem parecer idiotas, mas a verdade é que as pessoas não andam pelo mundo a montar profundas reflexões filosóficas sobre o “porquê” de tudo isso. Não exigimos respostas sobre o sentido escondido e profundo de todo o tipo de acontecimentos banais. Por alguma razão uma coisa tão desinteressante como uma avaria automóvel ou uma queda que damos na rua são coisas chatas e evitáveis, e não pistas para um significado intrínseco no funcionamento do Universo. Em todos os casos e mais alguns, no nosso dia-a-dia, preferimos resolver a situação sem que para isso seja preciso encontrar o porquê. Seguindo a mesma analogia, é possível arranjar o meu tubo de escape e compreender o seu funcionamento sem que eu compreenda o “porquê” da sua avaria. Poderá esta ter um significado por si só? Pode. Mas eu quero é pôr o carro a andar outra vez.
É nas grandes questões, como “De onde viemos”, “Para onde vamos” ou “Como nasceu o Universo”, que a resposta prática, empírica e, digamos, científica, nunca é suficiente. Por alguma razão para muitas pessoas é ridículo pensar na Teoria do Big Bang sem perceber o “porquê” de tudo ter acontecido daquela forma, ou perceber como funciona a Evolução sem haver um “significado” ou um “objectivo” por detrás desse processo.
Seja, acrescentemos pelo bem da discussão que há um Deus ou uma qualquer entidade criadora de tudo. Afinal, a ciência não consegue ainda explicar o processo pelo qual o Universo surgiu na forma como o conhecemos hoje, pelo que há espaço para a especulação. À pergunta, “De onde viemos” ou “Como nasceu o Universo” daremos então a resposta: foi Deus.
Há para mim um problema central nesta posição. Dizer que Deus criou o Universo é a maior não-explicação que podemos dar. É a antítese de uma explicação. Dizer que Deus é o responsável por tudo não explica absolutamente nada, só abre campo para mais perguntas: Porque é que Deus o fez? Porque lhe apeteceu? Com que poderes? De que forma? Por que processos? Com que intenção? Haveria sequer uma intenção? E a pergunta mais óbvia: então, de onde vem Deus?
Seria como se perguntassem a alguém como funciona um relógio, e esse alguém vos respondesse “Foi o relojoeiro que o fez”. Essa pessoa acabou de responder à vossa pergunta? E como é que esse relojoeiro o fez? Com que materiais? Onde é que ele aprendeu a fazer relógios?. Dizer quem fez não responde à pergunta “como?”, muito menos à pergunta “porquê?”. É uma não explicação, que por si só abre mais questões do que aquelas que consegue responder. Uma “resposta” que traz ainda mais perguntas e não responde a coisa nenhuma não é uma resposta.
Responder que “tudo” veio de Deus é ignorar a própria pergunta, é dizer “para mim este Universo, material, palpável e que posso experimentar, é um absoluto mistério e necessita de explicação. Mas uma entidade infinita, omnipotente, e que por alguma razão existe porque sim, é a coisa mais normal do mundo”. E no entanto esta não-resposta parece agradar a muitas pessoas, que vêm na possibilidade de dizer simplesmente “não sei” uma coisa assustadora. É como se o Universo tivesse mesmo, mesmo, mesmo de ter um criador, um sentido, um significado. Porquê o “porquê”?
Para mim a postura mais honesta é dizer que não sei. Não sei de onde veio o Universo, não sei se tem um sentido, não sei se um criador o fez porque lhe apeteceu ou porque fazia parte de um trabalho da escola. Entretanto, procuro abrir a minha cabeça e procurar com honestidade as respostas das perguntas que me vão surgindo; mas quando não sei, não sei.
Admitir à partida que por não sabermos TEM de haver um criador é fechar o leque de opções, é achar que encontrámos uma resposta que no fundo não responde a nada. É desincentivar a procura de uma resposta genuína, explicativa, elucidativa, e procurar substitui-la por uma superstição contraproducente. A história da ciência e do pensamento humano em geral está repleta de pessoas que não estavam satisfeitas com “Deus fez” como resposta para tudo, desde os trovões até aos seres vivos.
E quanto ao significado do mundo? Alguém dizer-me que não o encontra no dia-a-dia é alguém que nunca deve ter saído de casa. Deixem de ser preguiçosos. Encontrem aquilo pelo qual vale a pena levantar de manhã da cama, seja a vossa família, os vossos amigos, os vossos gostos, o vosso trabalho ou as vossas ambições, e perceberão que não precisam de compreender um sentido intrínseco no Universo para ter uma vida estável ou satisfeita. De nenhuma forma o facto de não saber qual é o “sentido da vida” me estraga a existência, porque estou demasiado ocupado a vivê-la e a aproveitá-la.
.

1 comentário:

Diego Bramé disse...

Parabens pelo post, você tem uma visão muito ampla do universso e uma mente bem aberta é de pessoas como você que o mundo precisa, e eu agradeço por esse post pois as pessoas que o lêrem vão refletir e ver que deus não explica tudo e muito pelo contrário. Parabéns e Muito Obrigado por tentar tornar o universso um mundo melhor, meu e mail é wandersonbrame@hotmail.com por favor entre em contato comigo por q eu tenho o desejo de compartilhar este post com mas gent. Vlw !